Em efeito Papa, 'Francisco' é nome mais usado na Itália

O papa Francisco e seus inusitados discursos estão alterando não só a estrutura da Igreja Católica, mas também as estatísticas demográficas da Itália. Desde março de 2013, quando Jorge Mario Bergoglio foi eleito Papa, o país registrou um aumento expressivo no número de crianças registradas com o nome "Francisco". 

De acordo com o Instituto Italiano de Estatísticas (Istat), "Francisco" ocupa o primeiro lugar das opções de nomes masculinos. O organismo também apontou que a maior parte dos pais que registra seus filhos com "Francisco" vive no Sul da Itália. Na região Norte, a preferência é compartilhada com o nome "Alessandro" e "Lorenzo". 

Para as meninas, os nomes mais escolhidos são "Sofia" e "Giulia". Já os estrangeiros que vivem na Itália têm adotado mais os nomes "Adam" e "Sara". De acordo com o Istat, apesar de existirem mais de 30 mil nomes femininos e masculinos, os 30 mais usados na Itália representam os registros de 40% das crianças. 

O relatório divulgado pela entidade também confirma a queda na taxa de natalidade na Itália. Em 2012, cerca de 534 mil crianças nasceram, sendo 12 mil a menos que o ano anterior.