Prêmio dado a Blair causa revolta dentro de ONG

A decisão da ONG "Save the Children" de homenagear o ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair por sua luta contra a pobreza infantil na África foi duramente criticada por alguns membros do grupo, que pediram a revogação do prêmio.    

Pelo menos 200 funcionários da organização assinaram uma carta descrevendo a decisão como "moralmente repreensível". Ainda de acordo com eles, o prêmio, que foi entregue no último dia 19 em uma cerimônia em Nova York, é uma ameaça à credibilidade da entidade humanitária.    

"Consideramos que este prêmio é inapropriado e uma traição aos princípios e valores fundamentais da 'Save the Children'", apontaram.    

Uma outra petição para que Blair perca a distinção "Legado Global" já recebeu mais de 90 mil assinaturas de apoio. Abaixo-assinado online apontou que "o legado de Blair no Iraque faz sombra a suas conquistas na África".    

Um porta-voz do grupo disse que o prêmio foi indicado pela filial norte-americana da ONG e que a organização respeita a diversidade de opinião dentro do grupo. De acordo com a direção da ONG, o ex-premier recebeu o prêmio por seu trabalho na cúpula do G8 em Gleneagles, em 2005, e por seu projeto para "Iniciativa pra a Governabilidade da África".