Ativistas do Femen são presas por topless no Vaticano

Mulheres protestavam contra visita do Papa ao Parlamento Europeu

Ativistas do Femen foram detidas nesta sexta-feira (14) por fazerem topless na Praça São Pedro, no Vaticano. De acordo com fontes locais, as mulheres protestavam contra a visita que o papa Francisco fará ao Parlamento Europeu, em Estrasburgo. As ativistas pintaram os seios com a inscrição "O Papa não é político", mas logo foram presas por agentes de polícia que faziam ronda na praça.   

 Francisco aceitou o convite feito no ano passado por lideranças do Parlamento Europeu e, no próximo dia 25 de novembro, realizará um discurso no plenário em Estrasburgo. A visita do Papa, no entanto, durará apenas um dia e não se estenderá pela França. Com isso, Jorge Mario Bergoglio se torna o segundo Papa a conhecer pessoalmente os prédios da UE. O primeiro foi João Paulo II, que esteve em Estrasburgo em 11 de outubro de 1988.   

 No último dia 30 de outubro, o Pontífice recebeu o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, com quem conversou por cerca de 40 minutos, em uma audiência no Vaticano. Na ocasião, Francisco afirmou que a Europa está "confusa sobre sua própria identidade e vocação".