Obama diz que EUA não estão sozinhos contra o Estado Islâmico

Ele confirmou a participação de 4 países nos ataques na Síria

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez um breve discurso nesta terça-feira (23) confirmando os ataques aéreos na Síria e informando quais países participaram da ação. Ele destacou que "ontem (22) à noite, sob minhas ordens, as Forças Armadas, começaram a atacar as bases do Estado Islâmico na Síria".

    O presidente ressaltou que já foi "informado das estratégias para saber o que foi realizado" e que cinco países participaram dos bombardeamentos: "Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Jordânia, Bahrein e Catar", dizendo que "isso deixa claro que o mundo não está deixando os Estados Unidos lutar sozinho".

    Obama falou ainda que "essa não é uma guerra só dos Estados Unidos" e agradeceu o apoio dos militares do país e dos aliados nos combates. O presidente ainda ressaltou que a estratégia de "abastecer a oposição síria moderada foi a melhor estratégia para combater o EI".

    O mandatário também confirmou as informações divulgadas nesta manhã de que os ataques teriam atingido bases do Khorasan, braço da Al-Qaeda no país. "Nós destruídos um complô da Al-Qaeda na Síria contra os Estados Unidos e os aliados", destacou o mandatário. Obama ainda ressaltou, novamente, que os Estados Unidos "não tolerarão ameaças ao seu povo" e que o país "é forte e está unido para se defender". Obama encerrou o rápido pronunciamento falando que "ainda há desafios à frente", mas que o país está fazendo o possível para combater o EI. (ANSA)