Otan se unirá para enfrentar Estado Islâmico, diz Obama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta sexta-feira (5) que os membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) estão prontos para se unir em um amplo esforço internacional para combater o grupo jihadista Estado Islâmico (EI), que controla áreas no Iraque e na Síria.    

"O EI é uma grave ameaça para todos, e dentro da Otan existe uma grande convicção de que é o momento de agir para enfraquecer e destruir o grupo", afirmou o mandatário, que participou de uma reunião de líderes das nações que integram a aliança militar em Newport, País de Gales.    

No entanto, Obama fez questão de ressaltar que não vai enviar tropas à Síria para enfrentar o Estado Islâmico. Segundo ele, tal medida não é necessária, sendo mais vantajoso encontrar aliados "confiáveis e moderados" na nação árabe.    

"Mas faremos tudo o que for preciso para assegurar que o EI não seja mais uma ameaça aos Estados Unidos e aos seus amigos e aliados", acrescentou. Nesta sexta-feira, a Otan já havia aprovado uma força-tarefa internacional para bloquear o fluxo de combatentes estrangeiros que entram na Síria para se juntar a organizações jihadistas.    

Além disso, a aliança deverá dar apoio militar ao Iraque para conter o avanço do Estado Islâmico e agir para secar as fontes de financiamento do grupo.