Ex-chefe da polícia secreta de Pinochet se suicida

Odlanier Mena de Salinas estava preso desde 2007

O ex-chefe da polícia secreta do regime do ditador chileno Augusto Pinochet, se suicidou em sua própria residência em Santiago, no Chile aproveitando uma permissão carcerária.

    O general aposentado Odlanier Mena Salinas, de 87 anos, ex-chefe da Central Nacional de Informações (CNI) entre 1977 e 1990 e considerado responsável por dezenas de homicídios, sequestros e torturas, deu um tiro no coração, segundo as primeiras informações da polícia chilena.

    Mena deveria ser transferido para um cárcere comum depois que o presidente chileno, Sebastian Piñera, tinha anunciado o fechamento da penitenciária "Cordillera", onde estavam presos dezenas de ex-militares condenados por violações dos direitos humanos durante a ditadura de Pinochet.

    O fechamento foi decidido depois que uma inspeção tinha revelado que os ex-militares podiam dispor de todas as comodidades na prisão, transformado em um hotel para vips.

    Mena, era um dos chefes da chamada "Caravana da morte", um grupo de militares encarregado de eliminar os opositores em todo o país depois do golpe de 11 de setembro de 1973, que derrubou o governo de Salvador Allende.

    Nos anos posteriores, depois que Pinochet foi obrigado a dissolver a Direção de Inteligência Nacional (DINA), a polícia secreta responsável por milhares de casos de violações de direitos humanos, Mena se tornou o primeiro diretor da CNI, cargo que manteve até o final dos anos 1990.

    Condenado a 10 anos de prisão em 2007, reduzidos para seis, pela morte de três dirigentes socialistas, Mena gozava do regime semi-aberto e podia passar o final de semana em casa. Na hora do suicídio, na casa estavam a esposa e a filha do general.(ANSA)