'Berlusconi não seria condenado se fosse gay', diz Putin

O presidente russo, Vladimir Putin, disse hoje (19) que, se seu amigo e ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi fosse gay não teria sido condenado a quatro anos de prisão por fraude fiscal.

"Se Berlusconi fosse gay, ninguém o teria tocado. Berlusconi é processado porque vive rodeado de mulheres", disse Putin, em um evento no clube de Valdai, na Rússia, que também contou com a participação do ex-presidente da Comissão Europeia e ex-premier italiano Romano Prodi.

Berlusconi foi condenado no processo que ficou conhecido com o nome de "Mediaset". Além da prisão, ele ainda pode ficar afastado dos cargos públicos por até cinco anos.

Atualmente, uma comissão especial do Senado italiano está avaliando a possibilidade de Berlusconi ter seu mandato de senador cassado. Em uma votação ocorrida na tarde de ontem, a maioria da comissão votou contra uma recomendação que previa a revogação do afastamento do ex-premier. A medida teve 15 votos contra e 1 a favor, sinalizando uma cassação do mandato.

Em um vídeo de 16 minutos também divulgado ontem, Berlusconi garantiu que, "cassado ou não, continuará exercendo seu papel" na política e sociedade italiana. Ele também desferiu golpes contra a magistratura, afirmando que a Itália virou uma "democracia dividida à mercê de magistratura politizada e monstruosa".