Médicos sugerem desligar aparelhos que mantêm Mandela vivo

O ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, respira com a ajuda de aparelhos e os médicos teriam sugerido à família desligar as máquinas que mantém vivo o líder da luta contra o apartheid. A informação foi divulgada nesta quarta-feira pelo jornal sul-africano The Citizen, citando “cinco fontes próximas” aos familiares de Mandela, “incluindo duas pessoas que recentemente visitaram o ex-presidente no hospital”.

Aos 94 anos, Nelson Mandela está internado em um hospital de Pretória desde o dia 8 de junho e há quatro dias está em estado crítico. Ele sofre de infecção pulmonar, uma doença que se agravou quando Madiba, como o ex-presidente é conhecido em seu país, esteve na prisão por 27 anos.

Na última terça-feira a família de Mandela se reuniu, segundo o jornal The Star, para decidir onde o corpo do Prêmio Nobel da Paz será sepultado. Após a reunião, a imprensa divulgou que uma máquina estava preparando o túmulo no suposto local da sepultura de Mandela.

Uma rede de televisão americana informou, também na última terça-feira, que uma das filhas de Mandela afirmou que o pai “abriu os olhos e sorriu” quando ela disse que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, estava a caminho da África do Sul.

O presidente Jacob Zuma disse nesta quarta-feira que a situação de Mandela não tinha mudado. "Enquanto ele continua em estado grave no hospital, devemos mantê-lo e à sua família em nossos pensamentos e orações todos os minutos", disse em uma reunião com o sindicato de trabalhadores de saúde.