Estados Unidos começam a negociar com o Talibã

Fontes do governo norte-americano informaram hoje que os Estados Unidos e o Talibã começarão o diálogo direto para as negociações de paz no Afeganistão na próxima semana em Doha, no Catar, onde o movimento fundamentalista islâmico abriu um escritório.    

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou que a decisão de começar a negociação direta com o Talibã é a única estrada para a paz no Afeganistão. O mandatário norte-americano admitiu que o percurso não será fácil nem breve, e avisou o Talibã que para tratar com os EUA será necessário que o grupo termine as relações com a Al-Qaeda.    

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, confirmou o começo das negociações. Durante uma coletiva de imprensa realizada junto ao secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), Anders Fogh Rasmussen, o líder afegão anunciou que quer "enviar uma delegação do Alto Conselho para a Paz em Doha", para começar as negociações, ressaltando que "devem ser considerados todos os aspectos do interesse nacional do Afeganistão". 

Fontes norte-americanas informaram que as negociações de Doha "são o primeiro passo de um longo percurso", e que o Talibã "deve se comprometer a não utilizar o território afegão para atacar os países vizinhos", além de "apoiar o processo de paz no país". Em janeiro o governo do Catar tinha informado que "acolheria com favor" a abertura de um escritório do movimento fundamentalista islâmico afegão no próprio território.