Tropas estrangeiras na fronteira provocam protestos em cidades turcas

A chegada de soldados da Alemanha para reforçar as tropas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), na fronteira da Turquia com a Síria, provocou manifestações de protesto em algumas cidades turcas. Os militares alemães vão se unir às tropas dos Estados Unidos e dos Países Baixos. A Alemanha enviou um total de 350 soldados para a região.

Na fronteira da Turquia com a Síria serão instalados mísseis Patriot. Segundo a Otan, o objetivo é defender a Turquia de ataques oriundos do território sírio. Os estrangeiros vão se instalar nas áreas de Kahramanmaras e Adana, a 120 quilômetros da fronteira com a Síria. Os governos do Irã, da Rússia, da China e da Síria se opuseram à medida.

Ontem (20), manifestantes ocuparam as ruas de Antakya, no Sudeste da Turquia, para protestar contra a chegada de militares estrangeiros ao país. Os manifestantes gritaram palavras de ordem contra a presença de forças militares estrangeiras. Apoiam a iniciativa os Estados Unidos, a Alemanha e a Holanda, entre outros países.

Há quase dois meses a Síria enfrenta uma situação de guerra. Os conflitos, segundo organizações não governamentais, mataram mais de 60 mil pessoas. Os confrontos são provocados pela disputa do poder entre o governo do presidente da Síria, Bashar Al Assad, e a oposição.