Argélia: em ofensiva, terroristas executam sete reféns estrangeiros

A imprensa argelina informou neste sábado que os sete últimos reféns que estavam em poder de militantes islâmicos, em um complexo de exploração de gás na Argélia, foram mortos. Eles teriam sido executados quando os terroristas perderam a esperança de escapar do local com vida. Na sequência, o Exército argelino matou pelo menos 11 terroristas que continuavam no complexo.

Não há informações claras sobre a situação no local. O sequestro teve início na quarta-feira (16), no deserto do Saara, quase na fronteira com a Líbia.

Na quinta, os sequestradores afirmaram que retinham três belgas, dois americanos, um japonês e um britânico como reféns. Um ataque das forças argelinas contra a base residencial do complexo do campo de gás teria matado 34 reféns estrangeiros e 15 militantes. Na sexta, outra versão dava conta de 12 reféns e 18 sequestradores mortos, além de 100 reféns estrangeiros e 573 empregados argelinos libertados.

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, afirmou que havia reféns em perigo, inclusive americanos. Os militantes responsáveis pelo sequestro, ligados à rede terrorista da Al-Qaeda, ameaçaram realizar mais ataques a instalações do setor de energia.