Mursi: Hamas e Israel podem estabelecer trégua 'em breve'

O presidente egípcio, Mohamed Mursi, declarou neste sábado que seu governo estava em contato com Israel e com os palestinos e que uma trégua pode ser concluída rapidamente no conflito em Gaza, que foi iniciado na última quarta-feira e já tem 48 mortos - 45 palestinos e três israelenses. Quinze deles foram mortos neste sábado.

Segundo informações de agências internacionais, 400 palestinos e 15 israelenses estão feridos. 

Ainda segundo informações de agências internacionais, o secretário-geral da Liga Árabe, Nabil al-Arabi, conduzirá uma delegação ministerial a Gaza em sinal de solidariedade depois de uma reunião de emergência dos ministros árabes das Relações Exteriores neste sábado no Cairo. Além disso, o ministro francês das Relações Exteriores, Laurent Fabius, é aguardado neste domingo em Jerusalém e em Ramallah, segundo fontes oficiais. 

"Há algumas indicações sobre a possibilidade de um cessar-fogo em breve", declarou o presidente egípcio durante uma entrevista coletiva à imprensa ao lado do primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, acrescentando, entretanto, que ainda não há "garantias".

Desde o lançamento da operação militar israelense "Pilar de defesa" contra os grupos armados palestinos da Faixa de Gaza, na quarta-feira, 48 pessoas - 45 palestinos e três israelenses - morreram e centenas ficaram feridas.

Uma autoridade do Hamas que não quis se identificar declarou à tarde no Cairo que seu movimento não aceitaria uma trégua sem garantias e que o Egito não podia mais fornecer essas garantias. "Por intermédio do Egito, nós chegamos a um acordo sobre uma trégua (segunda-feira), e ela foi quebrada em 48 horas", lembrou.

Com Portal Terra e Agências internacionais