Cristina Kirchner diz que apoio à privatização da YPF foi "estupidez"

Em visita à Brasília para uma reunião extraordinária do Mercosul nesta terça-feira (31), a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, afirmou que a entrega da maioria acionária da petroleira YPF à iniciativa privada no passado foi uma "estupidez". Em abril, a presidente anunciou a expropriação de 51% da petrolífera, que tinha capital espanhol por meio da Repsol. Já em 1992, Cristina defendeu a lei de privatização da YPF na época em que era deputada pela província de Santa Cruz.

Hoje, Cristina ponderou que equívocos são cometidos, mas que suas repetições são consideradas estúpidas. "É uma coisa que nunca vou me permitir ser: estúpida".

"A YPF sempre foi emblemática, é quase como uma marca para nosso país", qualificou a presidente. E acrescentou: "escolhi o caminho mais difícil (da reestatização). Nós mulheres somos assim", brincou. Além disso, a presidente argentina criticou a postura hegemônica dos países desenvolvidos em relação ao caso da YPF.

Sobre o Mercosul, Cristina disse que a "indignação frente à injustiça e à desigualdade" une os presidentes dos países membros do bloco.