Prisioneiro de Guantánamo, chofer de Bin Laden é repatriado ao Sudão 

NOVA YORK - O sudanês Ibrahim al Qosi, conhecido por ter trabalhado como chofer e cozinheiro de Osama bin Laden, deixou a prisão norte-americana de Guantánamo, onde ficou por mais de dez anos.

Segundo o Departamento de Defesa dos Estados Unidos, al Qosi foi repatriado por meio de uma operação "coordenada com o governo do Sudão" para garantir "as medidas apropriadas de segurança".

Atualmente, há 168 presos em Guantánamo, que fica em Cuba. Em julho do ano passado, al Qosi, de 52 anos, confessou ser culpado de conspiração e de fornecer materiais a grupos terroristas.

Ele foi condenado a 14 anos de prisão, mas, em troca de uma colaboração com a justiça, a pena foi reduzida.