Ex-chanceler alemão acreditava que Itália não estava preparada para adotar euro

A imprensa alemã divulgou hoje documentos segundo os quais o ex-chanceler alemão Helmut Kohl (1982-1998) defendia que a Itália não estava "madura" para entrar na zona do euro em 2002.    

Em um artigo, a revista Spiegel publicou documentos inéditos que demonstrariam, segundo a publicação, o "vício de origem da união monetária".    

A revista escreve que não houve critérios econômicos para a admissão de países na zona do euro, mas avaliações políticas, e que, com a entrada dessa forma da Itália no grupo, abriu-se o precedente para "um erro maior dois anos depois: a entrada da Grécia na zona do euro".