Com perfil conciliador, Hollande centrou campanha em rebater Sarkozy

Brasília – O presidente eleito da França, François Hollande, de 57 anos, fez uma campanha centrada em rebater os argumentos do governo do atual presidente, Nicolas Sarkozy. Segundo analistas políticos, Hollande é dono de temperamento afável, consensual e não aprecia confrontos. No entanto, segundo amigos, é apontado como teimoso e resiste a mudar de ideia.

Em entrevista, Hollande elogiou as relações entre o Brasil e a França, destacando os avanços obtidos pelo governo brasileiro. Também sinalizou que pretende intensificar as parcerias entre os dois países.

Há 30 anos, François Hollande está na política e nos últimos 24 meses se dedicou à campanha para a presidência. Ele estudou na Escola Nacional de Administração, depois se casou com a jornalista Ségolène Royal, do Partido Socialista, que foi derrotada por Sarkozy em 2007. Em 1988, Holland foi eleito deputado federal para a Assembleia Nacional. A atual mulher de Hollande é a jornalista Valérie Trierwieler.

Para a campanha presidencial, Hollande mudou sua imagem: emagreceu, substituiu a armação de óculos por uma mais leve e adotou postura mais suave. Em seus discursos, costumava ironizar Sarkozy, chamando-o de “hiperpresidente”, e prometeu ser um “presidente normal”. “O próximo chefe de Estado deve ser o inverso de Nicolas Sarkozy”, repetiu.

Os adversários acusam Hollande de ter pouco poder de decisão e lembram que ele nunca integrou diretamente o Executivo. O ex-primeiro ministro socialista Lionel Jospin (1997-2002) disse que  isso não é um problema.