Fidel elogia participação de Dilma em Cúpula das Américas  

Ele, porém, criticou o secretário-geral da OEA e o presidente dos EUA  

HAVANA, 15 ABR (ANSA) - O ex-líder cubano Fidel Castro elogiou a participação da presidente Dilma Rousseff na 6ª Cúpula das Américas, realizada neste fim de semana em Cartagena das Índias, na Colômbia.

Em um de seus artigos publicados na imprensa cubana, Fidel disse que Dilma é uma "mulher capaz e inteligente", à qual "não escapam as realidades". Para ele, a mandatária brasileira "sabe lidar [com as 'realidades'] com autoridade e dignidade".

Fidel, porém, criticou o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, por não falar sobre as Ilhas Malvinas durante seu discurso na Cúpula.

Ele demonstrou "assombro" por Insulza "não dizer uma só palavra sobre as Ilhas Malvinas, nem exigir o respeito aos direitos soberanos da nação irmã Argentina".

A crítica maior, porém, foi para o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. "Eu o observei pensativo e, às vezes, bastante ausente. Era como se dormia com os olhos abertos. Não se sabe quanto ele descansou antes de chegar à Cartagena, com quais generais conversou, que problemas ocupavam sua mente. Se estava pensando na Síria, Afeganistão, Iraque, Coreia do Norte ou Irã", escreveu Fidel.

Cuba é o único país da América que não participa da Cúpula, criada em 1994, devido à oposição dos Estados Unidos e do Canadá. Neste ano, porém, a maioria dos presidentes da região ameaçou não participar da próxima edição caso Havana continuasse vetada.