Dilma enfatiza importância do programa Ciência sem Fronteiras

Cem mil pesquisadores serão enviados para diversos países nos próximos quatro anos

A presidente Dilma Rousseff visitou nesta terça-feira o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), em Boston, neste segundo dia de viagem aos Estados Unidos. Ela enfatizou a importância do programa Ciência sem Fronteiras, que pretende enviar 100 mil pesquisadores, em quatro anos, para diversos países. Só para universidades norte-americanas deverão ser enviados 20 mil pesquisadores – nos níveis de graduação e pós-graduação.

O governo promete custear 75 mil bolsas e espera que a iniciativa privada viabilize outras 25 mil. O programa inclui desde bolsas sanduíche (em que parte do curso é feito em uma universidade estrangeira) de graduação até pós-doutorados em 18 áreas de tecnologia, engenharia, biomedicina e biodiversidade.

A tarde será reservada para uma visita a Harvard e o primeiro compromisso será uma reunião privada com a presidente da universidade, Drew Faust, historiadora especializada na Guerra Civil americana. Depois, Dilma participa de nova cerimônia de assinatura de atos.

No fim da tarde, a presidente irá à Harvard Kennedy School of Government. O primeiro compromisso é uma foto com estudantes brasileiros. A agenda oficial termina à noite com uma palestra no local, antes da volta ao Brasil.