EUA: estudante é condenado por bullying na internet

Um estudante universitário foi considerado culpado nesta sexta-feira nos Estados Unidos por ter filmado secretamente e divulgado na internet relações sexuais de um colega de quarto gay, que cometeu suicídio, informou o site nj.com.

Dharun Ravi, que compartilhou as filmagens com amigos de seu dormitório na Universidade de Rutgers, em Nova Jersey, foi considerado culpado por invasão de privacidade, apesar de ter sido inocentado de acusações envolvendo crimes de ódio, informou um site de notícias.

Ravi pode ser condenado a 10 anos de prisão e possível deportação para sua terra natal, a Índia.

Seu advogado concordou que Ravi é culpado pela brincadeira de mau gosto por filmar o colega de quarto Tyler Clementi beijando um homem, escrever no Twitter sobre o que viu e convidar os amigos a assistir o vídeo.

O incidente, seguido em alguns dias do suicídio de Clementi - que se jogou da ponte George Washington -, criou um debate nos Estados Unidos sobre privacidade na era da internet e homofobia.

Ravi não foi acusado da morte de Clementi, mas recebeu uma série de acusações segundo as quais ele teria sido motivado por sentimentos homofóbicos.

O grupo de defesa dos direitos homossexuais de Nova Jersey, Garden State Equality, elogiou o veredicto, afirmando que este mostrou que o acusado foi motivado pelo preconceito.

"Ravi foi condenado e agora enfrentará as consequências apropriadas", afirmou o presidente da Garden Stante Equality, Steven Goldstein, em comunicado.

"Acreditamos que este veredicto envia uma mensagem importante de que 'brincadeiras infantis' não serão desculpas para praticar bullying."

Além de todas as acusações de invasão de privacidade, Ravi também foi considerado culpado de acusações relacionadas às tentativas de enganar os promotores.