Confrontos contra o regime militar no Egito deixam quatro mortos

As manifestações contra o regime militar se intensificaram nesta sexta-feira (3) no Egito. Manifestantes tomaram as ruas de Cairo no segundo dia de protestos após a tragédia num Estádio de futebol. Um dos principais pontos de enfrentamento é  a sede do Ministério do Interior.

Até o momento as informações indicam quatro mortos, duas vítimas em Cairo, e outras duas na cidade de Suez. Segundo testemunhas, os manifestantes tentaram invadir uma delegacia e foram recebidos a bala.

Egípcios culpam as autoridades pela tragédia de quarta-feira (1), no estádio de futebol, onde 74 pessoas morreram após uma briga generalizada. Na ocasião, os policias nada fizeram para conter o massacre entre as torcidas. A policia teria sido conivente com a violência, pois integrantes das torcidas organizadas tiveram grande importância na derrubada  do regime Mubarak.

Os grupos juvenis, responsáveis pela derrubada do regime de Hosni Mubarak, no ano passado, convocaram ontem os manifestantes para o protesto desta sexta-feira. Durante toda manhã o grupo recebia centenas de pessoas na praça Tahrir, no centro da capital.

Segundo o Ministério do Interior, os confrontos começaram na noite de quinta-feira, cerca de 400 pessoas saíram feridas.

Os manifestantes afirmam que o atual governo é composto por pessoas ligadas ao regime Mubarak, e exigem mais velocidade na transição do regime militar para o governo civil.