Liga Árabe decide manter missão de observadores na Síria 

CAIRO - A Liga Árabe decidiu manter a missão de observadores na Síria, apesar das críticas envolvendo a sua eficiência, segundo um comunicado divulgado neste domingo pela organização.

O comitê ministerial da Liga encarregado do caso sírio decidiu "dar aos observadores o tempo necessário para manterem sua missão conforme o protocolo", após analisar o primeiro relatório do chefe dos especialistas, o general sudanês Mohamad al-Dabi.

O plano árabe, aceito pelo regime de Bachar al-Assad, tem o objetivo de pôr fim à violência, libertar os presos, retirar o Exército das cidades e conseguir a livre circulação, em todo o país, dos 163 observadores e dos jornalistas.

Após a reunião no Cairo, o comitê ministerial também pediu ao governo sírio e aos grupos armados que encerrassem "imediatamente todos os atos de violência".

A oposição síria pediu à ONU que envie ao país sua própria missão, e acusou os observadores de serem manipulados pelo regime de Assad, e a Liga, de ser incapaz de conter a violência.