Por telefone, Dilma deseja sorte a Cristina Kirchner 

A presidente Dilma Rousseff telefonou para a presidente argentina Cristina Kirchner na tarde desta quarta-feira, por volta de 15h30, para desejar "sorte" no tratamento de um câncer detectado na tireoide. Segundo relatos da assessoria de imprensa da Presidência da República, Dilma disse ter certeza de que Cristina terá a força necessária para enfrentar esse momento difícil. Dilma está em férias na base naval de Aratu, na Bahia, onde fez o telefonema.

Cristina Kirchner será operada no próximo dia 4, em um hospital privado, onde permanecerá internada durante 72 horas. O período de recuperação será de 20 dias. Até lá, a mandatária promete manter sua agenda normal. O vice-presidente argentino, Amado Boudou, assumirá a direção do país entre os dias 4 e 24 de janeiro.

Kirchner, 58 anos, vinha sofrendo de quadros de hipotensão, que a obrigavam a suspender, por breves períodos, as atividades oficiais. A última crise ocorreu no dia 11 de outubro passado, 12 dias antes das eleições presidenciais. Em abril passado, Kirchner ficou 48 horas de repouso pelo mesmo problema, e precisou adiar uma visita oficial ao México.

Cristina Kirchner reassumiu o poder em 10 de dezembro passado, para mais quatro anos de mandato, após vencer as eleições de 23 de outubro, com 54,11% dos votos. Seu marido e antecessor, Néstor Kirchner, morreu no dia 27 de outubro de 2010, aos 60 anos, vítima de um ataque cardíaco.

A líder argentina se soma à lista de presidentes e ex-presidentes da região afetados pelo câncer, que inclui os brasileiros Luiz Inácio Lula da Silva, com um tumor na laringe, e Dilma Roussef, que superou um câncer no sistema linfático descoberto em 2009.

O chefe de Estado do Paraguai, Fernando Lugo, conseguiu vencer um câncer linfático, enquanto o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, combate com quimioterapia um tumor na próstata.