Tibetanos presos são exibidos com cartazes no pescoço

Tibetanos detidos pelas forças de segurança chinesas foram exibidos com cartazes pendurados no pescoço e onde são indicados seus nomes e os delitos de que são acusados, segundo fotos publicadas neste sábado pela organização Free Tibet.

As fotografias foram tiradas nas prefeituras autônomas tibetanas de Kandze (Ganzi em chinês) e de Ngaba (Aba), segundo o site dissidente Boxun.com, que as divulgou na sexta sem dar detalhes sobre o lugar exato ou a data em que foram tiradas.

Estas regiões tibetanas da província de Sishuán são cenário há meses de uma série de imolações tibetanas para denunciar a repressão de que são vítimas por parte das autoridades chinesas.

Em uma das fotos, pode-se ver policiais das forças antidistúrbios, com um fuzil de assalto, empurrando os monges para fora de um prédio, e agarrando-os pela nuca. Os monges estão com a cabeça baixa e um cartaz no pescoço.

Um deles, Lobsang Zopa, tem seu nome escrito em chinês (Luorang Zuoba) e a menção "separatista", um delito punível com prisão perpétua, segundo a Free Tibet.