Venezuela critica colonialismo britânico 'grosseiro' nas Malvinas

Agência AFP

CANCUN - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, acusou nesta segunda-feira a Grã-Bretanha de fazer "uma das mais grosseiras demonstrações" de colonialismo nas ilhas Malvinas. E pediu aos participantes da reunião da América Latina e do Caribe que exijam que a plataforma de petróleo na área próxima à ilha seja desmontada.

"É uma das mais grosseiras demonstrações do velho colonialismo unido com o novo, o neocolonialismo", disse Chávez na conferência que reúne 32 países do continente, sem os Estados Unidos e Canadá, e que ocorre até terça-feira na zona turística de Cancún, no México.

"Nos solidarizamos fortemente com a Argentina, com seu povo e seu governo nesse pedido. E exigimos não apenas que retirem essa plataforma e que o governo inglês cumpra as resoluções das Nações Unidas, mas também que devolva esse território legítimo ao seu dono: o povo argentino", acrescentou.

Chávez assegurou que são atitudes como a da Grã-Bretanha que tornam necessário um processo de unidade como o buscado em Cancún.

"Estamos ainda cheios dos restos, alguns mais antigos, outros menos, do colonialismo. Por isso é tão importante que trabalhemos ainda com nossas diferenças pela verdadeira unidade da América Latina e do Caribe", afirmou.