Líder supremo diz que Irã vai punir atacantes

REUTERS

WASHINGTON - O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, disse nesta segunda-feira que a República Islâmica iria punir quem lançou o ataque contra a Guarda Revolucionária, que deixou 42 mortos. Ele deu a entender que o Ocidente estava envolvido no ataque.

- Os mercenários da arrogância mundial deveriam saber que o sistema islâmico vai proteger fortemente a região e defender seu povo leal e vai castigar quem violar suas vidas e segurança - disse ele, segundo a agência de notícias ISNA.

O Irã, um Estado predominantemente muçulmano xiita, costuma se referir aos Estados Unidos quando usa o termo "a arrogância mundial".

Comandantes da Guarda acusaram os Estados Unidos e a Grã-Bretanha de apoiarem o grupo rebelde sunita que a mídia iraniana diz ter assumido o ataque suicida no sudeste do Irã no domingo, o ataque mais mortal no país persa desde a guerra de 1980 com o Iraque.

Em sua primeira declaração pública sobre o ataque, Khamenei disse que "os inimigos deveriam saber que eles não podem ferir a unidade e a solidariedade (entre os iranianos)... com tal ato criminoso", disse a ISNA.