Tailândia rejeita extradição do 'Mercador da Morte'

REUTERS

BANGCOC - Uma corte tailandesa rejeitou nesta terça-feira a extradição do russo Victor Bout para os Estados Unidos, onde deveria ser julgado pela acusação de traficar armas para rebeldes colombianos. Os EUA argumentavam que Bout, conhecido como 'Mercador da Morte', participou de uma conspiração para vender, por uma quantia milionária, armas que a guerrilha das Farc poderia usar para matar norte-americanos.

- As acusações dos EUA não são aplicáveis à lei tailandesa. Trata-se de um caso político - disse o juiz Jittakorn Wattanasin no veredicto da Corte Criminal de Bangcoc.

- As Farc lutam por uma causa política e não são uma quadrilha criminosa. A Tailândia não reconhece as Farc como grupo terrorista - acrescentou.

Bout foi preso numa operação conjunta EUA-Tailândia em março de 2008, num hotel de Bangcoc, quando chegava de Moscou. Vestido com um desbotado traje laranja de prisioneiro, Bout, de 42 anos, sorriu quando o juiz leu a sentença e fez com os dedos um 'V' de vitória ao deixar o tribunal. Os promotores têm 72 horas para recorrer.

O personagem interpretado por Nicolas Cage no filme 'O Senhor das Armas' (2005) foi vagamente inspirado em Bout, que recebeu de um ministro britânico o apelido de 'Mercador da Morte'.

Ele nega envolvimento no tráfico ilegal de armas e alega que estava envolvido apenas no transporte das cargas.