EUA criticam gesto de Zelaya ao entrar em Honduras

Agência AFP

TEGUCIGALPA - A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, classificou de imprudente o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, que entrou brevemente em solo hondurenho. Cercado por dezenas de simpatizantes, Zelaya, que está na Nicarágua, cruzou a fronteira e ficou apenas alguns minutos no país.

Ele não foi detido como havia ameaçado o governo militar interino. Mas o gesto foi considerado pela secretária de Estado americana, Hillary Clinton, como uma imprudência.

Zelaya posou ao lado de um sinal onde se lia 'Bem-vindo a Honduras' e voltou para a Nicarágua. - Não tenho medo, mas também não sou maluco - disse o presidente deposto ao canal de TV estatal venezuelano Telesur.

O gesto levou o governo interino de Honduras a reagir, diminuindo a importância do gesto de Zelaya mas ampliando o toque de recolher na fronteira.