ONU pede cessar-fogo; foguetes do Líbano atingem Israel

REUTERS

GAZA - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, reiterou no Egito na quarta-feira seu chamado por um cessar-fogo entre Hamas e Israel, cujos aviões bombardearam túneis usados pelo Hamas para contrabandear armas para dentro da Faixa de Gaza.

Enquanto a ofensiva israelense na Faixa de Gaza ingressava em seu 19o dia, foguetes disparados do Líbano atingiram a cidade de Kiryat Shmona, no norte de Israel. Mas não houve sinais imediatos de que o incidente pudesse evoluir para violência mais ampla.

- Repito meu chamado por um cessar-fogo imediato e duradouro - disse Ban em coletiva de imprensa concedida no Cairo com o chanceler egípcio Ahmed Aboul Gheit.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que está iniciando um giro pelo Oriente Médio para tentar promover o fim dos ataques israelenses e dos disparos de foguetes do Hamas, disse que espera que a iniciativa egípcia de cessar-fogo renda frutos em pouco tempo.

Israel já declarou que qualquer trégua precisa incluir a garantia de que o Hamas não possa se rearmar. O país vem despejando bombas capazes de arrebentar bunkers sob os túneis que passam debaixo da fronteira entre o Egito e a Faixa de Gaza, usados para a entrada de armas no território.

Os túneis vêm servindo como linha de passagem vital de bens para os palestinos na Faixa de Gaza, cujos acessos ao mundo externo estão fechados, e como rota de abastecimento militar de seus militantes.

As forças israelenses disseram que seus aviões bombardearam cerca de 35 túneis na quarta-feira e também atacaram o quartel-general da polícia do Hamas na cidade de Gaza, cercada pelas tropas israelenses, além de oito pelotões de militantes e nove instalações de produção e armazenamento de armas.

- Eles usaram bombas que penetraram fundo nos túneis e sacudiram todo o campo de refugiados de Rafah. A terra tremeu sob nossos pés. Antes, sentíamos medo, mas agora já estamos nos acostumando - disse o cinegrafista palestino Bassam Abdallah.

Tropas israelenses chegaram mais perto do centro da cidade de Gaza, e organizações internacionais expressaram receio quanto à situação de crianças que não têm como sair da cidade.

Funcionários médicos em Gaza disseram que as forças israelenses mataram dois militantes e duas mulheres nos combates mais recentes. Cerca de seis foguetes disparados da Faixa de Gaza atingiram o sul de Israel, sem provocar baixas, conforme a polícia.

O Ministério da Saúde de Gaza afirmou que os mortos palestinos chegam a 975, dos quais cerca de 400 são mulheres e crianças. Israel diz que foram mortos dez soldados israelenses e três civis atingidos por foguetes do Hamas disparados da Faixa de Gaza.