Evo Morales entra em território boliviano após um ano de exílio

ABI
Credit...ABI

Às 10h desta segunda-feira, o ex-presidente Evo Morales entrou em território boliviano pela fronteira que liga La Quiaca (Argentina) a Villazón (Bolívia), após um ano de exílio. “Não tinha dúvidas que iria regressar, mas não tinha a certeza de que seria tão cedo, é algo histórico, algo inédito, graças à unidade do povo boliviano e ao apoio de muitas autoridades e ex-autoridades do mundo”, disse Morales.

Ele também expressou sua surpresa com o apoio que recebeu do povo argentino e especialmente de seu presidente, Alberto Fernández, que o acompanhou até a fronteira para se despedir. "Muito obrigado, irmão Alberto", enfatizou Morales.

Macaque in the trees
Evo fazendo seu primeiro discurso em solo boliviano após o exílio (Foto: ABI)

O ex-presidente passou pela fronteira acompanhado de Álvaro García Linera, que foi seu vice-presidente durante os 14 anos de governo e também foi exilado como outras autoridades.

Morales foi recebida em Villazón por centenas de seus seguidores de diferentes organizações sociais, que viajaram até lá para agitar a bandeira tricolor boliviana, a wiphala, e as bandeiras do Movimento Al Socialismo (MAS).

Ele renunciou à presidência em 10 de novembro de 2019, em meio a um conflito pós-eleitoral, e no dia seguinte deixou o território boliviano. Inicialmente refugiou-se no México e depois na Argentina.

Ontem, o ex-presidente iniciou sua volta ao país. No início se deslocou por via aérea de Buenos Aires a Jujuy, depois viajou por via terrestre até La Quiaca, e hoje entrou em território boliviano.

Nas últimas horas, o senador do Movimento ao Socialismo (MAS), Leonardo Loza, confirmou que Morales será acompanhado desde Villazón por uma grande caravana e "com certeza" também será recebido em diferentes cidades, até chegar ao trópico de Cochabamba.

"Mas haverá apenas um ato oficial (previsto para) na quarta-feira ao meio-dia em Chimoré", disse Loza. (com ABI)



Evo Morales e o presidente argentino, Alberto Fernández, em La Quiaca, fronteira com Villazón (Bolivia) na cerimônia de despedida
Evo fazendo seu primeiro discurso em solo boliviano após o exílio