Bolsonaro: visita ao Japão não é só de negócio, mas de relacionamento

Presidente participou da ascensão ao trono do imperador Naruhito

O presidente Jair Bolsonaro participou nesta segunda-feira (22) da cerimônia de ascensão ao trono do imperador japonês Naruhito, em Tóquio. "Participar da cerimônia de entronização é um motivo de satisfação e de orgulho. Temos muito respeito e consideração pelo povo japonês", disse o presidente, de acordo com publicações nas redes sociais da Presidência.

A solenidade aconteceu no Palácio Imperial, às 13h (horário local). Em maio, Naruhito participou de atos nos quais herdou as insígnias imperiais de seu pai e fez o seu primeiro discurso na posição de imperador.

Macaque in the trees
Presidente da República, Jair Bolsonaro (Foto: José Dias/PR)

Em seguida, às 17h, a previsão é que Bolsonaro se encontrasse com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski. Comediante estreante na política, Zelenski assumiu o cargo em maio. Atualmente, o ucraniano encontra-se no centro de um processo de impeachment contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que teria pedido a ele para intervir numa investigação contra Joe Biden, seu rival político.

Mais investimentos

Questionado hoje sobre o acordo da China com os Estados Unidos, em que os chineses se comprometem a comprar mais produtos agrícolas dos americanos, Bolsonaro disse que a demanda por alimentos no mundo cresce 60 mil toneladas a cada ano e que “não é qualquer lugar do mundo que você pode tirar isso aí”.

“O Brasil é um dos países que menos usa suas terras para agricultura temos muito espaço ainda. Não temos como interferir no comércio Estados Unidos-China, temos que fazer a nossa parte. Se conseguirmos, por exemplo, através de infraestrutura, fazer renascer o modal ferroviário, diminuir preço de transporte, aperfeiçoar tecnologia, nós podemos fazer nossa mercadoria chegar de forma mais competitiva nesses países”, disse à imprensa, antes da cerimônia de entronização, em Tóquio.

Entre os objetivos desta viagem está a busca de novos investimentos no Brasil. “Não temos recursos próprio para investir e queremos cada vez mais afastar o Estado. Obviamente nós vamos dialogar, fazer acordos, para que investimentos em infraestrutura se façam presentes”, destacou.

Agenda

Na quarta-feira (23), ainda em Tóquio, estão previstos encontros do presidente brasileiro com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, com empresário japoneses e com a comunidade brasileira no Japão. Bolsonaro também participa de um banquete oferecido por Abe a todos os chefes de Estado presentes na entronização do imperador.

É a segunda vez que o presidente Bolsonaro vai ao Japão este ano. Em junho, ele esteve em Osaka para participar da reunião do G20, que reúne as maiores economias do mundo. Na segunda-feira (21), na sua chegada ao país asiático, o presidente afirmou que o Brasil está reconquistando sua confiança no mundo e disse que a viagem atual não é apenas uma viagem de negócios, mas de relacionamento.

"Para agora, a vinda aqui não é negócio em si, é bom relacionamento", disse. "O Brasil é um país inexplorado ainda, e tudo que puder fazer em parcerias com países como Japão, no que depender de mim será feito."

O presidente está em viagem oficial de dez dias por Ásia e Oriente Médio. Na quinta-feira (24), a comitiva presidencial partirá para a China, depois Emirados Árabes, Catar e Arábia Saudita.