Leopoldo López não pediu asilo no Chile e já deixou embaixada, diz ex-prefeito de Caracas

O líder opositor venezuelano Leopoldo López não está mais na embaixada chilena em Caracas e não pediu asilo no país, afirmou o ex-prefeito de Caracas Antonio Ledezma.

A informação foi confirmada pelo porta-voz do também líder opositor Juan Guaidó, aliado de López.

Macaque in the trees
Líder da oposição venezuelana Leopoldo Lopez (Foto: REUTERS/Carlos Garcia Rawlins)

O governo chileno ainda não se manifestou sobre o assunto. Mais cedo, o chanceler do Chile, Roberto Ampuero, tinha afirmado que López e sua mulher, Lilian Tintori, eram hóspedes na embaixada e poderiam permanecer no local o tempo que fosse necessário.

Ledezma é uma figura histórica da oposição ao ditador Nicolás Maduro e chegou a passar dois anos preso acusado de tramar contra o regime. Em 2017, porém, conseguiu fugir e se mudou com a família para a Espanha, onde vive até hoje.