Papa condena ataques no Sri Lanka como "atos terroristas" injustificáveis

"Eu peço a todos para não hesitarem em oferecer a ajuda necessária"

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O papa Francisco condenou nesta segunda-feira os ataques a igrejas e hotéis no Sri Lanka que mataram cerca de 300 pessoas, e pediu reprovação mundial ao que disse serem "atos terroristas, atos inumanos" que nunca poderão ser justificados.

Foi o segundo dia consecutivo em que o papa condenou os ataques, que atingiram muitos católicos no domingo de Páscoa, uma das datas mais importantes para o cristianismo.

Dirigindo-se a milhares de pessoas na Praça de São Pedro na Segunda-feira de Páscoa, feriado na Itália, ele disse que estava unido aos fiéis do Sri Lanka e orando por todos os mortos e feridos.

Macaque in the trees
Interior de igreja alvo de ataque no Sri Lanka (Foto: REUTERS/Athit Perawongmetha)

"Eu peço a todos para não hesitarem em oferecer a ajuda necessária a essa nação querida. Espero que todos condenem esses atos terroristas, atos inumanos, nunca justificáveis", disse ele antes de liderar a multidão em orações às vítimas.

Nenhum grupo reivindicou responsabilidade pelas explosões, muitas delas atentados suicidas, que mataram cerca de 290 pessoas e feriram outras 500 -- o ataque mais fatal na ilha desde o fim de um guerra civil em 2009.

(Reportagem de Philip Pullella)