Turquia rejeita pressão dos EUA sobre mísseis russos

A Turquia classifiou nesta-sexta feira como "contrárias do Direito Internacional" as pressões americans para dissuadi-la de adquirir o sistema de defesa russo antiaéreo, acrescentando que respeitaria o acordo concluído com Moscou o tema.

"Assinamos um acordo com a Rússia. Este acordo está valendo. Agora, estamos discutindo a entrega", declarou o ministro turco das Relações Exteriores, Melvut, e chanceler russso, Serguei Lrvrov, em entrevista coletiva em Antalya (sul).

"Que um terceiro país se oponha (...), é sem dúvida o contrário do Direito international", continuou Cavusoglu.

"É preciso que todo mundo compreenda que a mentalidade de 'eu quero isso, eu quero que isso aconteça desse jeito' não tem mais espaço hoje", completou.

O comando por parte da Turquie do dispositivo de defese antimísseis e antiaéreo russo S-400 - cuja entrega já deveria ter começado - envenea há vários meses as relações entre Ancara e Washington, dois aliados na Otan. Os Estados Unidos afirmam que os S-400 não são compatíveis com os equipamentos da Otan.

Washington aumentou a pressão nas últimas semanas. Nesta quinta-feira, senadores republicanos e democratas apresentaram um projeto de lei para bloquear a transferência de um projeto de lei para bloquear a transferência dos F-35 em Ancara.

"É preocupante que a Turquia busque cooperar estreitamente no campo da defesa com a Rússia, cujo dirigente autoritário busca constantemente minar os interesses da Otan e dos Estados Unidos", declarou o republicano James Lankford, cosignatáro do texto.

 

gkg/ezz/pg/tt