Filho de Osama bin Laden perde a nacionalidade saudita

Hamza bin Laden, apresentado pelos Estados Unidos como líder da rede jihadista da Al-Qaeda, foi destituído de sua nacionalidade saudita, informou nesta sexta-feira (1) o jornal oficial saudita.

O jornal Umm al-Qura anunciou, citando o ministro saudita do Interior, que Hamza bin Laden foi destituído de sua nacionalidade por um decreto real em 22 de fevereiro. A publicação não especifica as razões para esta decisão.

O pai de Hamza, Osama bin Laden, fundou e dirigiu a Al-Qaeda até sua morte em maio de 2011, durante uma operação das forças especiais americanas em sua casa em Abbottabad, Paquistão, onde vivia escondido. Ele também havia sido despojado de sua nacionalidade saudita.

A rede Al-Qaeda, liderada atualmente pelo egípcio Ayman al-Zawahiri, foi a responsável pelos ataques de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.

Na quinta-feira, Washington, um aliado próximo da Arábia Saudita, ofereceu uma recompensa de até US$ 1 milhão por qualquer informação que possa levar a Hamza bin Laden, apresentado-o como um "líder-chave" da Al-Qaeda. Considerado como o filho favorito - até mesmo o sucessor designado - de Osama bin Laden, Hamza já estava na lista negra americana de pessoas acusadas de terrorismo.

Segundo o Departamento de Estado americano, que promete este dinheiro em troca de informações "que permitam identificá-lo ou localizá-lo em qualquer país", ele é um "líder emergente" da Al-Qaeda.

"Desde pelo menos agosto de 2015, ele tem postado mensagens de áudio e vídeo na internet pedindo ataques contra os Estados Unidos e seus aliados ocidentais, e ameaçou lançar ataques contra os Estados Unidos em vingança pelo morte de seu pai", escreveu a diplomacia americana em um comunicado.

De acordo com especialistas em grupos islâmicos, Hamza bin Laden, que agora teria cerca de trinta anos, lidera o grupo Ansar al-Furqan, que tem atraído há alguns meses na Síria os combatentes mais doutrinados da Al-Qaeda ou da organização jihadista rival Estado Islâmico.

Ele é frequentemente considerado o "príncipe herdeiro da jihad": documentos, incluindo cartas reveladas pela AFP em maio de 2015, mostram que Osama bin Laden gostaria que ele o sucedesse à frente da jihad global anti-ocidental.

Décimo quinto dos cerca de vinte filhos de Osama bin Laden, filho de sua terceira esposa, Hamza foi, desde sua infância, preparado para seguir seus passos. Ao seu lado no Afeganistão, antes de 11 de setembro de 2001, ele aprendeu o manejo de armas, criticando com sua voz fina os americanos, os judeus e os "cruzados" em vídeos postados online.

Entre os arquivos do ex-líder da Al-Qaeda apreendidos durante a invasão americana em 2011 e revelados no final de 2017 pela CIA, também há um vídeo do casamento de Hamza bin Laden, aparentemente no Irã, sendo essas as primeiras imagens adulto.