Papa quer medidas concretas contra pedofilia

CIDADE DO VATICANO - Na abertura de uma cúpula no Vaticano convocada pelo Papa Francisco para tratar do combate à pedofilia, o pontífice cobrou um compromisso sério da Igreja contra os abusos a crianças.

"Escutemos o grito das crianças que pedem justiça", clamou o papa ao convidar patriarcas, cardeais, arcebispos, bispos e superiores religiosos a encarar a "praga dos abusos sexuais" cometidos por membros da Igreja católica. Esta é a primeira vez na história que os líderes da Igreja se reúnem a pedido do papa para debater essa questão, que minou a credibilidade da instituição em todos os continentes e que era acobertado e negado durante décadas.

Macaque in the trees
Papa Francisco fala em cúpula global de proteção à criança (Foto: Vaticano/AFP)

Antes do pronunciamento do papa, foi exibido um vídeo com depoimentos comoventes de vítimas de abusos sexuais quando eram crianças. O pontífice deseja mudar a mentalidade dos bispos com um método jesuíta, com debates, discursos, reuniões intercaladas com orações, mas sobretudo com declarações de vítimas.

Entre os depoimentos, muitas críticas à postura de acobertamento que a Santa Sé vinha tomando e um pedido de seriedade. "Fui abusado sexualmente durante muito tempo, mais de cem vezes, e este abuso provocou em mim traumas para toda a vida. Todas as vezes que conversei com os superiores, todos encobriram. Eu peço agora atos firmes que coloquem o abusador em seu devido lugar", pediu uma das vítimas.