Cemitério judeu é profanado na França

Quatzenheim - Ontem cerca de 80 túmulos foram vandalizados com suásticas na cidade francesa de Quatzenheim, leste do país. Nesse dia estavam marcados protestos contra a escalada de antissemitismo que atinge o país. O presidente Emanuel Macron foi ao local e prometeu punir os responsáveis.

"Nesta terça-feira 19 de fevereiro, quase 80 túmulos de um cemitério israelita de Quatzenheim foram encontrados profanados", afirmou em comunicado a prefeitura de Bas Rhin. Nesse mesmo dia estavam programadas diversas manifestações na França contra o aumento das agressões antissemitas. Segundo uma pesquisa publicada pelo Ministério do Interior, o número de atos antissemitas disparou 74% no país em 2018, totalizando 541, contra 311 em 2017.

Macaque in the trees
Presidente francês Emmanuel Macron visita túmulo vandalizado em cemitpario judeu em Quatzenheim (Foto: Frederick Florin/Pool/AFP)

O presidente Macron visitou o cemitário localizado em Quatzenheim, um povoado de 800 habitantes no leste da França. "Vamos agir, promulgaremos leis e puniremos", disse a moradores consternados.

A profanação foi foco das discussões do Parlamento francês. O ultraconservador Frente Nacional de Marine Le Pen considerou que a atitude se deve a um "islamo-fascismo", enquanto a França Insubmissa de Jean-Luc Melenchón condenou "a instrumentalização política da luta contra o anti-semitismo, que é de todos".

Israel reage

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, denunciou a profanação como um ato "chocante" cometido por "selvagens antissemitas", e chamou os líderes franceses a tomarem uma "forte posição contra o antissemitismo". Já o ministro da Imigração israelense, Yoav Gallant, chamou os judeus da França a emigrarem a seu país. "Voltem para casa, emigrem a Israel", tuitou.