Manifestantes no Sudão se desculpam por erro sobre morte de menino

Um comitê de médicos organizador de protestos contra o governo no Sudão pediu desculpas, neste domingo (20), por terem anunciado por erro a morte de um menino durante manifestações na última quinta-feira.

A Polícia sudanesa havia informado a morte de duas pessoas em 17 de janeiro nas manifestações contra o governo realizadas na capital, Cartum. A Associação de Profissionais Sudaneses relatou, porém, a ocorrência de três óbitos, entre eles um médico e um garoto.

"Nos desculpamos por esta informação equivocada da morte de um garoto durante as manifestações de quinta-feira", afirmou um comitê de médicos, membro dessa Associação, à frente dos protestos no Sudão desde 19 de dezembro.

Na quinta-feira, quatro semanas depois do início do protesto deflagrado pela alta dos preços do pão e dos remédios, a polícia dispersou com gás lacrimogêneo centenas de manifestantes que marchavam rumo à sede da Presidência, em Cartum, para pedir a saída de Omar al-Bashir.

Em um país mergulhado na crise econômica, manifestações quase diárias pedem a saída de seu presidente, no poder desde 1989.

ab-jds/dr/on/gk/me/zm/tt