Jornal do Brasil

Internacional

Promotores de Tóquio apresentam nova denúncia contra Ghosn

Ele teria repassado um prejuízo de US$ 16,6 milhões para Nissan

Jornal do Brasil

Os promotores de Tóquio apresentaram uma nova denúncia contra o executivo brasileiro Carlos Ghosn, ex-presidente da aliança Nissan-Renault-Mitsubishi. Ele agora é investigado por suspeita de repassar para a Nissan um prejuízo de US$ 16,6 milhões em investimentos pessoais. O empresário está preso, na capital japonesa, desde novembro por suposta fraude fiscal de valores recebidos no período em que esteve no comando das montadoras.

Ghosn está detido no centro de detenção de Tóquio com seu ex-assessor Greg Kelly. Ontem, sua primeira ordem de prisão não foi renovada, o que abriu a possibilidade dele ser solto sob fiança. Mas, com a nova denúncia, essa chance não existe por 48 horas. Ghosn e Kelly foram indiciados por supostamente conspirarem para subestimar a renda de Ghosn em milhões de dólares ao longo de cinco anos, de 2010 a 2015.