Trump suaviza posição sobre desbloqueio de US$ 5 bi para muro na fronteira

Donald Trump afirmou durante dias que não haverá acordo orçamentário se o Congresso não desbloquear cinco bilhões de dólares para a construção de um muro na fronteira com o México. Na terça-feira, porém, suavizou sua posição.

"Temos outras formas de chegar aos cinco bilhões (de dólares)", disse a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, na Fox News, sem explicar qual seria a forma de conseguir esse valor.

"Não queremos paralisar o governo federal, queremos fechar a fronteira", acrescentou Trump, que ressaltou que tinha pedido a todos os seus ministros que "buscassem fundos que possam ser usados para proteger as fronteiras".

Se os republicanos e democratas do Congresso não chegarem a um acordo até a meia-noite de sexta-feira, parte do governo federal ficará paralisada por falta de fundos.

Perguntado pouco depois sobre o resultado das negociações em curso, o presidente americano continuou evasivo: "Veremos, é cedo demais para decidir isso".

No entanto, a legisladora democrata Nancy Pelosi, que provavelmente liderará a Câmara de Representantes a partir de janeiro, deixou claro que a proposta apresentada pela Casa Branca não era aceitável em sua forma atual.

"Não podemos aceitar a proposta de estabelecer um fundo bilionário para que o presidente implemente suas muito erradas políticas migratórias", disse aos jornalistas.

Embora seja difícil prever os efeitos de um "bloqueio", os departamentos de Estado, Segurança Interior e Justiça seriam afetados, e seus milhares de funcionários ficariam sem receber seus salários.

Apesar de dominarem o Congresso, os republicanos ocupam apenas 51 assentos no Senado, e para serem aprovadas, as leis de orçamento devem receber 60 votos entre os 100 membros da câmara alta. A partir de 3 de janeiro, os democratas recuperarão o controle da Câmara de Representantes.

"Ficarei orgulhoso de ir para o 'shutdown' (bloqueio parcial do governo federal) em nome da segurança fronteiriça", disse Trump no Salão Oval há uma semana, durante uma troca acalorada com os líderes democratas do Congresso, Chuck Schumer e Nancy Pelosi.

"Não há segurança fronteiriça sem o muro!", disse, em referência a sua polêmica promessa de campanha.

jca/leo/rbv-llu/yow/db/cc