Jornal do Brasil

Internacional

Estrasburgo respira aliviada após polícia liquidar atirador

Jornal do Brasil

Dois dias com helicópteros sobrevoando a cidade e carros de polícia por toda a parte. No bairro de Neudorf, em Estrasburgo, epicentro da busca por Chérif Chekatt, os habitantes expressaram seu imenso "alívio" com o fim da caçada ao atirador da feira de Natal.

"Bravo!" - gritavam as pessoas para uma equipe de policiais armados na rua Lazaret, onde morreu o atirador que matou três pessoas e feriu outras 13 na noite de terça-feira, em plena feira de Natal no centro desta cidade francesa.

Em torno do perímetro de segurança, os habitantes do bairro popular e residencial de Neudorf, no sul da cidade, aplaudiam as forças de segurança à medida em que se aproximavam.

"Há alguns dias, por causa dos coletes amarelos, vaiamos os CRS [polícia de choque], mas temos que homenageá-los quando fazem um bom trabalho", disse à AFP Wilfried, 19 anos, que mora a 100 metros da rua onde Chekatt, 29 anos, foi liquidado em uma troca de tiros.

Arthur, 18 anos, também está mais tranquilo. "Passei uma hora antes na mesma rua, exatamente diante de sua casa (de Chekatt). Vi os helicópteros sobre minha cabeça, mas não havia policiais".

Logo antes dos disparos, "vi carros começando a bloquear a rua e policiais encapuzados correndo", explicou Saif, 40, claramente emocionado. "Em seguida, ouvimos tiros, 'pan, pan, pan'".

"Estamos contentes por ter sido abatido finalmente. Não me sentia segura, não estava nada bem...", confessou Dalila, 56, agente de produção.

A morte de Chekatt foi resultado de uma grande operação, que incluiu membros da força de intervenção de elite RAID e bloqueou várias ruas de Neudorf, onde o atirador cresceu.

Chekatt foi interpelado por volta das 20H00 GMT (18H00 Brasília) por três agentes da polícia quando andava pela rua.

Tentaram detê-lo mas "ele virou e enfrentou os funcionários da polícia atirando. Responderam imediatamente e neutralizaram o agressor", revelou o ministro do Interior, Christophe Castaner.

Segundo a agência de propaganda Amaq, do EI, Chérif Chekatt "fazia parte dos soldados do Estado Islâmico e realizou esta operação respondendo ao chamado para atacar cidadãos da coalizão internacional" que combate o EI na Síria e no Iraque.

 

fd-maj/bdx/mf/lr