Jornal do Brasil

Internacional

Democratas vão investigar laços econômicos de Trump com Rússia e sauditas

Jornal do Brasil

Os democratas têm a intenção de investigar os laços financeiros do presidente americano, Donald Trump, para determinar se são a mão oculta que impulsiona a política externa do país na Rússia e na Arábia Saudita, disse neste domingo (25) o novo presidente do Comitê de Inteligência da Câmara de Representantes.

Adam Schiff, o democrata que ocupa o cargo mais alto neste comitê, acusou Trump de ser "desonesto" sobre o papel do herdeiro à coroa saudita, o príncipe Mohammed bin Salman, no assassinato do jornalista Jamal Khashoggi.

Um senador republicano a par de assuntos de Inteligência também questionou a negativa de Trump sobre se a CIA tinha chegado à conclusão de que o príncipe-herdeiro foi o mandante do homicídio, cometido em 2 de outubro.

"O que está impulsionando isso?", perguntou Schiff, questionando "se há uma motivação financeira; isto é, de suas próprias finanças pessoais".

"Seu interesse financeiro pessoal está impulsionando a política americana no Golfo? Em relação com os russos? Não sabemos, mas seria irresponsável não averiguar", disse no programa da CNN "State of the Union".

Khashoggi, crítico do príncipe-herdeiro, era colunista do jornal The Washington Post que morava na Virgínia. Foi assassinado no consulado da Arábia Saudita em Istambul por uma equipe especial que foi transferido para fazer o trabalho.

Os sauditas, que mudaram sua versão dos fatos à medida que a evidência se tornou pública na Turquia, insistiram em que o príncipe-herdeiro Mohammed não tinha conhecimento prévio do assassinato, uma interpretação que foi aceita por Trump.