Jornal do Brasil

Internacional

França e Japão oferecem ajuda a aliança entre Renault e Nissan

Jornal do Brasil

Os governos da França e do Japão ofereceram ajuda à aliança entre Renault e Nissan mesmo após a prisão de Carlos Ghosn, o executivo brasileiro que preside o grupo, ser preso acusado de fraudar sua declaração de renda a autoridades japonesas.

A prisão de Ghosn lança dúvidas sobre o futuro da aliança, uma das maiores montadoras do planeta.

Nesta terça-feira (20), um comunicado conjunto emitido pelo ministro das Finanças da França, Bruno Le Maire, e o ministro da Economia japonesa, Hiroshige Seko, afirma que os dois conversaram por telefone e elogiaram "um dos grandes símbolos da cooperação franco-nipônica".

O comunicado diz ainda que ambos expressaram "seu desejo conjunto de manter a cooperação vitoriosa."

Ghosn, que liderou a aliança durante anos, deve ser demitido do cargo, afirmou ontem a montadora japonesa. O governo francês, que detém uma participação de 15% na Renault, quer que ele seja substituído.