Londres e Bruxelas alcançaram 'projeto de acordo' sobre Brexit

Negociadores do Reino Unido e da União Europeia alcançaram um "projeto de acordo" que será examinado pelo gabinete da primeira-ministra britânica Theresa May em um conselho de ministros extraordinário nesta quarta-feira, anunciou um porta-voz do governo de Londres."O gabinete se reunirá às 14h (locais, 12h em Brasília) amanhã para examinar o projeto de acordo que as equipes de negociadores alcançaram em Bruxelas e decidir os próximos passos", afirmou um porta-voz de May.A menos de cinco meses da data prevista para o Brexit, May tentava há dias concluir as negociações com Bruxelas para que o Parlamento britânico possa votar o acordo antes do recesso de fim de ano. "Os ministros do gabinete foram convidados a ler a documentação antes da reunião", indicou.Vários meios de comunicação britânicos relataram que os ministros foram convocados individualmente na noite desta terça (horário local) para Downing Street. Uma fonte europeia confirmou à AFP a existência de um acordo técnico que ainda deve ser ratificado a nível político por ambas as partes. Segundo duas fontes diplomáticas, os embaixadores dos outros 27 países-membros da UE se reunirão na tarde de quarta-feira em Bruxelas.Citando duas fontes governamentais, a emissora pública irlandesa RTE afirmou foi alcançado um acordo sobre a fronteira entre a Irlanda e a província britânica da Irlanda do Norte, principal entrave na negociação.Segundo esta mesma fonte, a solução implica na manutenção do Reino Unido em um acordo aduaneiro com a UE "com disposições 'mais profundas' para a Irlanda do Norte". Contudo, o Ministério de Relações Exteriores irlandês garantiu em nota que "as negociações entre a UE e o Reino Unido sobre um acordo de saída continuam e não foram concluídas". A fronteira irlandesa se mostrou o maior obstáculo nas longas e difíceis negociações sobre a saída do Reino Unido da UE. Ambas as partes concordaram em evitar a restauração de uma fronteira física na ilha para preservar o acordo de paz da Sexta-Feira Santa, que em 1998 encerrou 30 anos de conflito sangrento na Irlanda do Norte. Mas os dois lados divergiam sobre como fazer isso.O acordo anunciado nesta terça-feira ainda deve ser oficialmente aprovado pelos líderes europeus, que devem convocar uma cúpula extraordinária no fim de novembro. No entanto, a batalha ainda não foi vencida por Theresa May, como correram para apontar os analistas da Capital Economics. "Mesmo que um acordo tenha sido alcançado com a UE, não há garantia de que será aceito pelo gabinete ou pelo Parlamento britânico", afirmaram em nota, dizendo: "Não ficaríamos surpresos em ver mais renúncias, tanto dos conservadores eurófilos quanto dos eurocéticos". Na sexta-feira, o ministro de Transportes, Jo Johnson, irmão do ex-chanceler Boris Johnson, renunciou repentinamente dizendo que o acordo Brexit que estava sendo finalizado "seria um erro terrível" e pedindo um segundo referendo.Mais de meio milhão de pessoas fizeram um protesto ruidoso em Londres no fim de outubro para solicitar um novo referendo, desta vez sobre os termos do acordo final com Bruxelas. No referendo sobre o Brexit, realizado em 23 de junho de 2016, 52% dos britânicos votaram a favor da saída da UE. Mas a pesquisa mais recente, conduzida pelo Survation e publicada em 5 de novembro pela emissora Channel 4, indicou que os defensores de permanecer na Europa agora são 54%.

acc/mb/ll/mvv