'Populismo nasce semeando ódio, como Hitler', diz Papa

Francisco alertou para o caminho do "suicídio da humanidade"

O papa Francisco afirmou nesta terça-feira (23), durante o lançamento de um livro em Roma, que o populismo nasce "semeando o ódio" e citou como exemplo a ascensão de Adolf Hitler.

"É importante que os jovens conheçam como cresce um populismo. Pensemos, por exemplo, em Hitler, que havia prometido o desenvolvimento da Alemanha após um governo que fracassara", afirmou o líder da Igreja Católica, na apresentação da obra "A sabedoria do tempo".

Macaque in the trees
Papa Francisco (Foto: Alberto Pizzoli/AFP)

O livro defende a criação de uma "nova aliança" entre as gerações e foi lançado no Instituto Patristico Augustinianum, faculdade católica que fica a poucos passos da Praça São Pedro. "Que [os jovens] saibam como começam os populismos: você disse algo muito feio, mas muito belo: semear o ódio. Não se pode viver semeando o ódio", acrescentou o Papa.

As declarações de Francisco foram dadas em resposta à pergunta de uma moradora de Florença que dá aulas de italiano para refugiados e está preocupada com o crescimento do sentimento de ódio no país em função da crise migratória. "Essa é a estrada para o suicídio da humanidade: semear o ódio", afirmou.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais