E agora, Bittar?

Não foi das melhores a recepção popular que o secretário municipal de Habitação, o petista Jorge Bittar, mereceu por parte do povão que foi prestigiar a inauguração de parte do Bairro Carioca, na sexta-feira (6).

Vítimas das desapropriações dos governos por conta das muitas obras que a cidade assiste na preparação para a Copa de 2014,  a Olimpíada de 2016 e ainda as do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), foram cobrar do secretário a solução para seus problemas.

Cabe à secretaria de Bittar cadastrar cada uma das pessoas, pagar aluguel social e providenciar, enfim, uma nova moradia. Ele só ouviu cobrança de "desapropriados" das mais diversas localidades e por variados motivos. Alguns, de dedo em riste, questionavam pelos aluguel social atrasado. Outros, querem agilidade nas construções dos novos conjuntos.

"E agora, Bittar? Por que não tem casa para todo mundo aqui?", perguntou Ana Moraes, do Morro da Providência, no Centro do Rio.

Ao se ver em uma saia justa, o secretário tentava escapar, prometendo repetidas vezes: "Vou resolver, gente, vou resolver!"

Em meia hora, o "vou resolver" foi pronunciado 19 vezes.

Promessa que, embora repetitiva, parece ter sido em vão. Afinal, nem ele, nem a dupla de assessores que a tudo assistia anotaram qualquer dado dos interessados que permitisse depois atender às reclamações.