Anos 80: o RJ em preto e branco

A FOTÓGRAFA Cristina Granato vai lançar seu segundo livro: Circuito Cultural Carioca. As páginas trazem a memória da cultura do Rio de Janeiro nos 35 anos de carreira da fotojornalista. Registros dos Anos 80. Anos em Preto e Branco. Quando os jornais não imprimiam cor em suas colunas sociais. Vocês sabem que o advento desse jornalismo social fotográfico, com muitas fotos (antes, o máximo eram duas) foi na coluna Perla Sigaud (meu pseudônimo), de O Globo, a partir de 1975 anos afora. Isso me deu a oportunidade de gerar um mercado de trabalho e projetar muitos nomes da fotografia, como a própria talentosa Cristina Granato. Meu deus, quanta alegria! O lançamento do livro de Cristina será em dezembro. Ela tem quatro parceiros no projeto: Cesgranrio, Estácio de Sá, Grupo Abolição e Secretaria Municipal de Cultura. As fotos acima: MAIO 88, o cabeleireiro Silvinho e Elke Maravilha, Prêmio Sharp de Música, Hotel Nacional. Silvinho já com o abatimento da Aids, que levaria um dos nossos cabeleireiros mais criativos. Elke produzida por Silvinho, seu melhor amigo, que a fazia extravagante, mas não descaracterizava sua beleza... FEVEREIRO 1986 - Claude Amaral Peixoto e Silvinho, dois anos antes, plena saúde, lindo no Baile da Cidade, do Scala, que fazia o Rio tremer... MARÇO 1981 - Metade de Simonal, Maria Bethânia e Mario Priolli, camarim do Canecão, onde ela estreava show. Foram quatro décadas de Canecão contando a história da MPB. Uma das maiores lástimas para a cidade, o fechamento inglório da casa de Priolli. Nenhuma casa conseguiu substituí-la... SETEMBRO 1986 - Boite Calígula. Com Renée de Vielmond e Fernando Bicudo, Jorge Guinle Filho vivia uma excitação atípica. Ele já tinha o diagnóstico da Aids, na época fatal, os amigos não sabiam, e decidiu viver em plenitude, cada dia uma festa... FEVEREIRO 1986, Baile da Cidade no Scala. Naquele ano, Humberto Saade lançava Vanessa de Oliveira como nova musa Dijon, em substituição a Luiza Brunet, com quem havia rompido. Monique Evans também posava para a marca. Vanessa e Monique na foto... NOVEMBRO 1985 - Fato raríssimo, Lady Laura, mãe de Roberto Carlos, saiu da toca para festejar o aniversário da nora, Myriam Rios, na boate Calígula. Aqui com outra lady, Florinda Barbosa, mulher do Abelardo Chacrinha... JUNHO 1986, boate Calígula, um quarteto do high mais trepidante do Rio de Janeiro naquela década: Maria Alice Celidônio, Marta Garcia, Ionita Salles Pinto e Kiki Garavaglia. 

---------

BORBULHANTES

ESTE PAPA é uma bênção. Temos muito a agradecer a Deus por nos ter enviado um missionário que fala a voz dos perseguidos, dos pobrezinhos e maltratados. Um Papa franciscano, caridoso e humilde, verdadeiramente Papa, que cumpre um projeto cristão ao pé da letra bíblica: olha a todos como irmãos... CHAMA ATENÇÃO que, dias depois do escândalo causado pelo terço enviado por ele a Lula, através de seu assessor, Juan Grabois, o Papa Francisco, em sua homilia de ontem, na Casa Santa Marta, tenha destacado o poder destrutivo da comunicação caluniosa, pois “assim começam as ditaduras”, e tenha lembrado a sedução do escândalo... SUA REFLEXÃO partiu do Livro dos Reis, em que o rei Acab ambiciona a terra de Nabot, que não a vende por questão sentimental: é herança do pai. Jezabel, mulher do rei, o aconselha a acusar Nabot de falsidade, mata-lo e ficar com a terra... A ESTA fakenews do Livro dos Reis, o Papa chama de “comunicação caluniosa”, e se refere aos “mártires condenados por calúnias”, e paradigmática de Jesus, Santo Estevão e todos aqueles condenados num cenário calunioso e também paradigmática “de tantos chefes de estado e de governo”... DIDÁTICO, ELE explica que tudo começa com uma mentira. Obtido o êxito em destruir a pessoa ou a situação que se quer caluniar, julga-se e condena-se... SEGUNDO O Papa, esse método também é aplicado para a implantação das ditaduras. “Também hoje, em muitos países, se usa este método: destruir a livre comunicação”... “POR EXEMPLO, pensemos: há uma lei da mídia, lei da comunicação. Cancela-se essa lei e se concede todo o aparato da comunicação a uma empresa,  que faz calúnia, diz falsidades, enfraquece a vida democrática”... “DEPOIS, VÊM os juízes a julgar essas instituições enfraquecidas, essas pessoas destruídas (Nota da colunista: destruídas pelas fakenews da empresa de comunicação que calunia), condenam e assim vai avante uma ditadura”... PALAVRAS DO PAPA: “As ditaduras, todas, começaram assim, adulterando a comunicação, para colocar a comunicação nas mãos de uma pessoa sem escrúpulo, de um governo sem escrúpulo.”... FRANCISCO LEMBRA que também no dia a dia é assim. “Quando se quer destruir alguém, o começo é com a comunicação, falar mal, caluniar, envolver em escândalos”... LEMBRA QUE comunicar escândalos tem uma enorme sedução. “As boas notícias não são sedutoras”. A comunicação cresce no escândalo, “e aquela pessoa, aquela instituição, aquele país acaba na ruína. No final, não se julgam as pessoas. Julgam-se as ruínas das pessoas ou das instituições, porque não se podem defender.”... E LAMENTA: “Oh… é um horror, mas um horror que acontece hoje: nas pequenas sociedades, nas pessoas e em muitos países. O primeiro passo é se apropriar da comunicação, e depois da destruição, o juízo e a morte.”... ELE CHAMA de “ditaduras com luvas brancas”, aquelas causadas pelo “poder destrutivo da comunicação malvada e caluniosa”... DÁ COMO exemplo de vítimas desse tipo de comunicação, das ‘fakenews do mal’ (como eu chamo), o povo judeu. “Pensemos na perseguição aos judeus, por exemplo. Uma comunicação caluniosa contra os judeus; e acabavam em Auschwitz porque não mereciam viver.”... E TALVEZ não por acaso, caem nas mãos desta colunista os trechos de cinco cartas da indústria de medicamentos Bayer ao comandante de Auschwitz encontradas na libertação do campo de concentração pelo Exército Vermelho. Elas datam de abril-maio de 1943...... 1º “COM A finalidade de experimentar um soporífero, seria possível colocarem à nossa disposição algumas mulheres em boas condições? Todas formalidades relativas à transferência dessas mulheres serão atendidas por nós.”... 2º “CONFIRMAMOS o recebimento de sua carta. Consideramos o preço de 200 marcos exagerado; oferecemos 170 marcos por indivíduo. Necessitamos de 150 mulheres.”... 3º “ACEITAMOS o preço acordado. Queiram, então, nos preparar um lote de 150 mulheres saudáveis, das quais necessitaremos em breve.”... 4º “RECEBEMOS o lote de 150 mulheres. A seleção é satisfatória, embora os indivíduos estejam muito magros e debilitados. Informaremos sobre os resultados das experiências.”... 5º “OS EXPERIMENTOS não foram conclusivos. Os indivíduos morreram. Escreveremos em breve solicitando o preparo de um novo lote.»... ESSAS CARTAS foram publicadas no número de fevereiro de 1947 da revista Le Patriote Résistent... IMAGINO QUE, no Brasil de hoje, muitas católicas e muitos católicos, que rezam fervorosamente o terço, ao lerem essa homilia do Papa Francisco de ontem, talvez prefiram trocar de Papa a trocar de jornal ou de canal de televisão...

---------

FASE DURA para Eike Batista, que acaba de perder o pai. Seu pesadelo não tem fim. Condenado a prisão domiciliar, ele responde a mais um processo, dia 15 agosto, na 51ª Vara Cível do TJ-RJ. O paulista Anderson Luciano alega ter sofrido prejuízos com a falência da OGX, porque os comunicados periódicos de Eike aos investidores retratariam progressos aquém da realidade. A OGX também é ré na ação.

--------

Com João Francisco Werneck