Autor de "13 Reasons Why" justifica cena de suicídio em produção da Netflix

"Nós trabalhamos muito duro para não ser uma cena gratuita", disse Brian Yorkey

Produção da Netflix recém-estreada, a série "13 Reasons Why" vem causando debate por tratar, como centro do enredo, do suicídio. A história versa sobre uma menina que, antes de se matar, deixa 13 fitas para pessoas que já passaram por sua vida e foram as causadoras de sua decisão. Para alguns, a série é uma apologia ao suicídio, já que acaba por mostrar o passo a passo de um, a medida que o enredo vai sendo desvendado. 

Para se ter uma ideia, o episódio 13 é acompanhado de um aviso: "Contém cenas que alguns espectadores podem achar perturbador e/ ou pode não ser adequado para audiências mais jovens, incluindo representações gráficas de violência e suicídio. O discernimento do espectador é aconselhado".

O autor do livro "13 Reasons Why," lançado em 2007 e que inspirou a versão televisiva, Jay Asher, falou sobre a cena do suicídio: "Trata-se de uma série de TV. Se você for assistir, você vai ver o quão horrível quanto realmente é".

O escritor e autor da série, Brian Yorkey, revelou que a cena do suicídio precisava ter um impacto: "Nós trabalhamos muito duro para não ser uma cena gratuita, mas nós queríamos que fosse doloroso de se ver porque queríamos ser muito claros que não há nada, de nenhuma maneira, que valha a pena sobre o suicídio", tenta justificar.