Kléber Mendonça Filho é investigado pelo MPF

O inquérito foi aberto após denúncia anônima de improbidade administrativa 

Após o sucesso nacional e internacional do filme "Aquarius", o cineasta Kléber Mendonça Filho foi denunciado anonimamente para o Ministério Público Federal, que abriu inquérito civil e ação pública.

A denúncia argumenta possíveis “atos de improbidade administrativa”, já que à época da captação dos recursos para o longa - no valor de R$1 milhão – o cineasta era servidor público, ligado ao Ministério da Educação e sócio administrador da Cinemascópio Produções Cinematográficas.

No entanto, a defesa de Mendonça Filho sustenta que a denúncia é equivocada. Os principais motivos? A captação dos recursos para o filme foi feita pela Lei de Audiovisual – a regulamentação é diferente da Lei Rouanet. Ainda há a justificativa de que o cineasta não é mais o administrador da empresa há 10 anos.

Apesar do inquérito aberto, Kléber ainda não recebeu notificação do MPF de Pernambuco.

Em tempo: "Aquarius" ganhou repercussão internacional ao fazer duras críticas no festival de Cannes ao governo ilegítimo de Temer.