Thiago Martins, Péricles, Martnália e Mosquito põem o pandeiro para gemer

Eles foram as atrações de mais uma edição do Pôr do Samba no Boulevard Olímpico

Sente só a mistura: Thiago Martins com seu suinge sangue-bom made in Vidigal, Péricles, Mosquito - sob os cuidados da "general" Paula Lavigne -, e Suel Alves. Assim seguiu mais uma edição do Pôr do Samba na Arena Banco Original, armada no Armazém 3 do Boulevard Olímpico.

Martnália, esperta que só, aproveitou para cantar faixas de seu novo álbum, “+Misturado”. “A composição do novo álbum foi uma mistura de sons, de autores e de vozes. Ou seja, uma verdadeira bagunça musical. Como o meu último álbum foi ao vivo e produzido pelo meu pai, foi aquela sambaiada toda. Nesse momento, eu estava precisando fazer um disco de estúdio. Então, eu comecei a chamar os amigos para me darem músicas e ver quais eu conseguia cantar. A partir daí, foi só gravar. Tudo bem relax”, nos contou.

Não muito longe dali, Péricão, como é chamado pela turma do samba-bom, comentava sobre o futuro dos pagodeiros...“Eu acho que o pagode teve seus tempos áureos em várias fases dos anos 2000 e 2010 quando conquistou espaço em trilhas sonoras de filmes e novelas. Mas o sucesso desta década ainda não se compara aos anos 1990. Pelo menos não em quantidade, mas em qualidade, que cada vez mais fica melhor”.

Na plateia, a coluna avistou Cinara Leal e Isabel Fillardis, que achou a festa "uma verdadeira celebração em família da música brasileira".

E com razão.