Fim do hiato: com time de promoters da urbe, Pôr do Samba está de volta

Festa voltou a acontecer no Boulevard Olímpico ao som de Péricles e Teresa Cristina

Têm festas que você nem precisar chegar lá para já saber que vai ser boa. A Pôr do Samba, que rolou ontem na Arena Banca Original, armada no Armazém 3 do Boulevard Olímpico, é uma dessas. O motivo é simples: grandes promoters do Rio, como Carol Sampaio, Michel Diamant, Val Lastres, Felipe Ramalho e Leo Marçal; se juntaram para comandar o badalo.

No palco da Arena, Teresa Cristina, Péricles, Thiago Martins e a descoberta da nova geração, Mosquito, apresentaram shows que reuniram clássicos de diferentes épocas da música nacional.

A festa voltou a rolar depois de um hiato, mas já existe há quase duas décadas. A favorita lembra: "O Pôr do Samba é da época de Gattopardo. Todo domingo, eu ficava com meus amigos comendo pizza e, no final da noite, estávamos todos cantando e dançando sambas e pagodes. Foi assim que nasceu no Pôr do Samba. Nós começamos com a roda de samba do Ivo Meirelles e depois passamos a acrescentar outros ritmos mais da MPB. A festa ainda tinha um MC e terminava com a bateria da Grande Rio. Então, era um evento que parava o Rio”.

Era, não. Pretérito não cabe mais para a Pôr do Samba. Tanto que o sangue novo Mosquisto caprichou nas rimas cantadas, enquanto Péricles lembrou até clássico do finado Exaltasamba.

No fim da noite, com a turma já tirando a rasteirinha do pé, Thiago Martins completou a festa com o seu Balanço do TG - seu novo formato de show onde cantou de Gilberto Gil a Jeito Moleque. 

Porque por lá, o Sol se põe, mas o povo não enverga.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais